Muitas vezes nos sentimos com aquela pontinha de inveja quando algum dos "nossos iguais" alcança aquilo que jugavamos ser merecedores, muitas das vezes até nem julgamos que teríamos mérito para o receber mas, simplesmente, porque sim, deviamos ser nós a tê-lo...Se o outro fôr brilhante no que faz ou realmente sobressair até "engolimos" a sua conquista mas, se nos fôr "igual", epá, não pode ser, a sorte passa a ser nossa madrasta, o azar nosso pai e o infortúnio nosso irmão...

 Só conhecemos a gratidão com um "in" como prefixo e torna-se complicado arrancar-nos um sorriso porque temos "tudo" mas, falta-nos qualquer coisa...a "coisa" do outro, salvo seja...Com isto não quero dizer que devamos abraçar a satisfação pelo que já temos e ficarmos por aí, sem tentar ir mais longe, mais fundo ou mais alto...

 Ser grato obriga-nos a sorrir, raramente expressamos um "obrigado" sem o demonstrar...quando a gratidão nos invade, a busca incessante pelo material, torna-se menos compulsiva, somos mais apreciadores, seja do sorriso de uma criança, de um pôr-do-sol, ou de uma "cafézada" com um amigo...ser grato não é mais que apreciar a vida mesmo quando a mesma não parece nos oferecer o retorno do plantado...
 "Sê grato no pouco, preparando-te para o muito e o alcançarás", a todos os que com evidência e aos outros que mesmo sem o saberem me inspiram...o meu...obrigado...

2 comentários:

  1. Esquecemo-nos de ser gratos! Utilizamos o obrigado centenas de vezes ao dia, e tão poucas (ou nenhumas!) são sentidas...
    É um grade desafio, mas aceito-o.
    Começo por te dizer obrigada por estas palavras e pelo extraordinário apoio.

  1. Ruben Bap says:

    Sinceramente, obrigado..eu...

Enviar um comentário

Com tecnologia do Blogger.
Loading...

Porto de Mós

Porto de Mós
A "minha" praia e a minha foto!

Sobre Mim

A minha foto
Não pretendo falar muito de mim, vou deixar que as palavras falem e, consequentemente os atos!


Para quem procura, para quem encontra, para quem cai, para quem se levanta...

Não sei o que me leva, nem o que me traz, sei simplesmente que urge, não fazer o que me apraz!

Muitas vezes sou levado pelos impetos do imediato, da satisfação momentânea do devaneio, sem atribuir às consequências qualquer peso de uma consciência obesa.

Diz-se,"ano novo,vida nova", se espero por um dia igual aos outros, para pensar em alterar uma vida desregulada, sinto que defraudo quem acredita, decide e age todos os dias... vou tentar sair da lama e mudar, vou tentar hoje, o amanhã não me pertence...

A quem bate... quem procura...

A quem bate... quem procura...
...se abre, encontra...

Followers