Sabendo que o passado influencía sempre o presente, não tem de ditá-lo!Também o futuro não nos pertence, ou antes, até é nosso, se lá chegarmos mas, mesmo plantando hoje as sementes da árvore do amanhã, não está nas nossas mãos o sol ou a chuva que cairá sobre ela...

 Resta-nos o hoje e, o que é que podemos?
Semear e esperar colher.Nem sempre colhemos o que semeamos mas, na maioria das vezes, o resultado da seara é o fruto do que foi depositado nos carreiros, é a regra.

 Não esperes morangos de batatas plantadas, nem uvas de milho, nem tampouco que um limoeiro produza grandes abóboras!(aliás, nem pequenas ;))
 
 A vida e os seus dias, tem vicissitudes, ocorrências esperadas, outras surpreendentes e ainda outras, inevitáveis, tudo isto, sendo verdadeiro, pode afetar aquilo que nos apetece ou não plantar, a semeadura brota sempre daquilo que o coração leva à mão daquele que semeia...

 Semeia bem, "tu podes", parafraseando não literalmente o "não branco" que osou sonhar e plantar aquilo que acreditava...planta sorrisos, esperança, caminho, alento, sagacidade, vontade, altruísmo e "parentes" de todas as anteriores e, certamente, não colherás...cardos!

2 comentários:

  1. Felizmente!
    Essa é a oportunidade que temos de mudar o futuro, de não estarmos condenados por os erros que cometemos no passado.
    Muito bom!

  1. Ruben Bap says:

    Não é o numero que oportunidades que condiciona o sucesso ou o fracasso do nosso futuro, é o aproveitamento que fazemos das mesmas quando surgem!E, mesmo assim, não é o aproveitamento que nos sustem...é outra coisa...;)

Enviar um comentário

Com tecnologia do Blogger.
Loading...

Porto de Mós

Porto de Mós
A "minha" praia e a minha foto!

Sobre Mim

A minha foto
Não pretendo falar muito de mim, vou deixar que as palavras falem e, consequentemente os atos!


Para quem procura, para quem encontra, para quem cai, para quem se levanta...

Não sei o que me leva, nem o que me traz, sei simplesmente que urge, não fazer o que me apraz!

Muitas vezes sou levado pelos impetos do imediato, da satisfação momentânea do devaneio, sem atribuir às consequências qualquer peso de uma consciência obesa.

Diz-se,"ano novo,vida nova", se espero por um dia igual aos outros, para pensar em alterar uma vida desregulada, sinto que defraudo quem acredita, decide e age todos os dias... vou tentar sair da lama e mudar, vou tentar hoje, o amanhã não me pertence...

A quem bate... quem procura...

A quem bate... quem procura...
...se abre, encontra...

Followers